Arte em poesia

Fui crocheteira, tricoteira, bordadeira, tapeceira. Linhas, lãs, agulhas e pontos me teceram meiga e carinhosa. Acolhedora insaciável. Aprendi a domar minhas entregas pra não ser desperdiçada. Me embrulhei em papeis, tesouras e estiletes e recompus minha história em álbuns de retratos decorados. Foram anos acertando pontas e redefinindo arestas. Me apaziguei. Perambulei por panos e…

Saudades do meu pai

Passei o dia amuada – da cama quase não saí – li, escrevi, organizei fotos e poesias. O dia passou esquecido. Era aniversário do meu pai. Nem acredito. Esqueci. Lembro dele todos os dias. Mesmo estando ausente tantos anos. Seriam os 80 anos do meu pai. -“Feliz Aniversário, paizinho querido”- Aplaquei minha saudade.    

professora

Hoje foi dia de revisão de conhecimentos em WordPress. Depois de anos, chegou a hora de reciclar meu blog. Contatei minha antiga professora Lúcia de Freitas, cracona em WordPress, e colocamos as mãos na plataforma, comprei o domínio Suzete.com, repaginei meu blog. Nesta minha vinda a SP zanzei por antigos e novos caminhos. Vou me…

perdas

se tenho medo de te perder? não. não tenho mais. aquele que eu temia perder já não existe mais. perdi faz tempo.

o que se foi

a temporada de verão acabou. foram-se os turistas. sobraram alguns retardatários insignificantes na imensidão do mar. não contam. hoje, éramos eu, as ondas, a chuva, e algumas gaivotas ensaiando seu regresso. estamos tímidas e receosas, elas e eu. nosso santuário foi afrontado e desrespeitado. que a chuva e o tempo purifiquem a heresia do abuso…

cochichos

não sei se abraço a vida ou a morte. a morte acena cheia de facilidades e finalizações. xeque mate. ponto final. já a vida, impõe sacrifícios e compensações. um ainda em constante processo. – o próximo. o seguinte. mais uma, outra vez – ando tão farta de me exigir e me infligir perfeição, decepção, dor….

Ceramicando

Florianópolis é um celeiro de arte e artesanato. Do tipo alternativo, rústico, movido à inspiração, criatividade e sustentabilidade. Anos atrás, tipo 25 anos, fiz um curso de tear, no Mercado Público, no centro da cidade. Foram 3 tapetes com técnicas e cores diversas. E, totalmente tortos. Foram os únicos tapetes de tear que fiz. A…

Forjando a armadura – Rudolf Steiner

“Nego-me a submeter-me ao medo Que me tira a alegria da minha liberdade Que não me deixa arrriscar nada. Que me torna pequeno e mesquinho, que me amarra, Que não me deixa ser direto e franco, que me persegue Que ocupa negativamente a minha imaginação, Que sempre pinta visões sombrias.   No entanto não quero…

A pintura como método arteterapêutico – Linguagens do Inconsciente

O artigo científico de conclusão do curso de Arteterapia ganha forma e conteúdo. O tema: a Pintura como forma de expressão, uma ferramenta psicológica de alto impacto, incrivelmente prazerosa e reveladora do universo inconsciente de cada um de nós. Alguns chamam esta técnica de Pintura Espontânea, outros de Pintura Intuitiva. Gosto de pensar que são Diálogos…

o medo de ser impulsiva me tornou indecisa

Em dezembro de 2014 postei minha última Miniatura. Uma categoria para as ideias simples. Recortes, retalhos e porções. Sementes e grãos. Tipo um insight, um flash, uma sacada … e, das duas uma: ou ando sem ideias simples, apenas ideias complicadas e complexas: ou, ando despersiva demais. Pra não dizer que não falei das flores:…

sótãos e porões

sótãos e porões são encantadores e muito, muito promissores. caixas velhas e esfarrapadas, sacos plásticos mofados, socados em fundos de armários e prateleiras, velam o que poderia ser importante, mas se perdeu no tempo e no conceito do que deveria ter sido. a vida também é assim. nas catacumbas da nossa existência existem verdadeiros tesouros perdidos…

Cadernos escolares

Durante as férias de verão recebi a visita da minha afilhada. Assim que ela descobriu meu atelier e meus materiais de scrap, foi logo pedindo se eu encaparia os cadernos dela. “Claro que sim” respondi, certa de que seria mamão com açúcar. E foi. Três cadernos em espiral comuns, fitas dupla face, tesoura, restos de papeis…

O muito que se faz com pouco

O scrap, assim como o patchwork, o mosaico, a literatura, a pintura e tantas outras artes, existem graças à união de quantidades incertas de vários materiais e inspirações. O muito que se faz com pouco engrandece retalhos de tecidos, fitas e linhas; papeis, colas, folders, ingressos e mapas; azulejos, pastilhas de vidro, cacos de porcelanas…