Preguiça reparadora

Sete de setembro. Dia da independência, pois, feriado nacional. Planejei não deixar só e acabei comigo mesma nesta quinta-feira morna e preguiçosa. Minha essência não reclamou. Precisava deste tempo pra recuperar do agito, da dor, das horas e das palavras. O silêncio acalma. A preguiça recupera. Amanhã meu estoque de energia estará no nível. Ontem já sentia a exaustão integral se apoderar de cada célula e pensamento. Hoje, pantufa no pé, pijama de pelúcia, rosto lavado e limpo, cabelo solto e nada pra fazer. Cochilos, leituras, escritas. Um filminho talvez. A velocidade média no apartamento é arrastada. A noite foi de sono doído e entrecortado. O dia promete recuperar e abastecer. Uma simples preguiça? Alguns pensam em virose, outros numa gripinha chegando, stress e esgotamento para outros. De tempos em tempos, temos dias assim. Que bom quando coincide com feriado ou fim de semana. Anos atrás li o livro da analista junguiana Clarissa Pinkola Estés “Mulheres que correm com lobos” e encontrei um sentido ancestral, selvagem e muito natural para estes dias. Segundo ela, a palavra “alone” (só em inglês) antigamente era escrita em duas palavras “all one”, e significava estar inteiramente em si, em sua unidade. Simplificamos e abreviamos a palavra e por tabela, perdemos seu significado. Então, diferentemente do que pensamos, estes dias de solidão voluntária, ensimesmamento e preguiça, não são ausência de energia ou ação. Estar só, quieto ou parado é uma forma preventiva e paliativa que ajuda a curar a fadiga e prevenir o cansaço – certamente, meu dia era ontem. Em unidade, deveríamos ouvir nossas próprias necessidades, orientação e conselhos interiores, coisas que dificilmente conseguimos em meio a tantos estímulos, responsabilidades, atividades, compromissos e burburinhos do nosso dia-a-dia. No entanto, quando ficamos assim, nos sentimos doentes ou em vias de. Nem suspeitamos que nosso corpo iniciou seu processo de autocura e regeneração. Aprendi a respeitar e me permitir esses dias. Amanhã estarei inteira.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s