O que eu ando lendo

Até parece que não tenho lido. Muito pelo contrário. Meus dias tem sido absorvidos por leituras e releituras. Há tempo vinha ensaiando reler alguns dos meus livros antigos, mas quando via, estava com uma nova braçada de livros quentinhos nas mãos, e os velhos permaneciam em segurança e bem acompanhados nas prateleiras. Desde antes, durante e depois de “Casados com Paris” comecei a ler vários livros e reli alguns antigos.

Na lista dos iniciados e não concluídos estão:

Clarice Lispector (Laços de Família), James Joyce (Retrato do artista quando jovem) e Julio Cortázar (Histórias de cronópios e de famas). Alta literatura num momento de baixa inspiração e paciência. De todos, James Joyce foi o mais tocante e permanece no meu criado mudo para ser concluído no meu retorno ao sul, no final de maio. O texto é envolvente, denso e profundo, retratando a perspectiva do pecado, do céu e do inferno que a religião católica incutia em seus seguidores no princípio do século 19. Alguns afirmam ser este o livro mais autobiográfico de James Joyce. Os contos de Clarice Lispector estão na minha cabeceira de São Paulo, e cheguei à conclusão de que devem ser lidos por unidade. Um de cada vez, com paciência, observação e atenção. Os cronópios e famas de Júlio Cortázar não me cativaram e voltaram para a prateleira. Quem sabe, mais adiante.

Adorei o romance de Edney Silvestre“A Felicidade é fácil”. Um texto de fundo histórico/político com um enredo construído por capítulos interrelacionados focando principalmente o tempo em que as situações vividas pelos personagens se encaixam e se completam. Uma espécie de “reconstrução dos fatos”. O final do sequestro – trama central do livro – é de uma humanidade singular dentro do contexto calhorda citado pelo escritor e jornalista.

Das releituras, fui extremamente apelativa.

Como disse minha colega e amiga Bianca, “sinto dizer” mas li mais uma vez (a quarta) a Saga Crepúsculo, de Stephenie Meyer, inteirinha. Neste momento, estou relendo Harry Potter e o Cálice de Fogo, de J. K. Rowling. O quarto da série. Ainda faltam três para ter relido toda a série, pela segunda vez. Na lista das releituras do ano, ainda estão “Mulheres que correm com lobos” de Clarissa Pinkola Éstes, e “Psicanálise dos Contos de Fada” de Bruno Bettelheim.

Por trás desta estranha coletânea está o desejo de ingressar numa oficina de literatura infantil e num universo mágico e fantástico. Coisa pro segundo semestre. Ou mais adiante. Está Naquela lista. Viu universo?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s