Grand Canyon

A apoteose ficaria para o fim do dia. Antes, uma parada no Walnut Canyon. Impressionante a quantidade de canyons e formações rochosas jovens esparramadas pelos USA. Este me fez lembrar do filme “Dança com Lobos” de Kevin Costner (quando  os índios fogem e se escondem do exército num canyon muito parecido com este).Imagina visitar o vizinho ou criar os filhos.

Indo em direção ao Grand Canyon. A paisagem árida e seca é substituída pelos pinheiros e ciprestes, pelas montanhas e um restinho de neve do inverno.

Nem sempre a sinalização da Rota 66 é tão clara.

Enfim, O Grand Canyon. Simplesmente, deslumbrante.

Obra de Deus. A imensa ferida na crosta terrestre é de uma beleza ímpar. A emoção única. Poder sentar no contorno firme e absorver a imensidão, um convite para a reflexão e a meditação.

Sentar e balançar os pés na arquibancada natural dispensa comentários. Cadê o medo de alturas? Engolido pelo êxtase e pela plenitude.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s