Degustação de vinhos em Swan Valley Perth’s – Austrália

Manhã de sábado de sol escaldante, calor infernal de 40 graus, agenda apertada, e a vontade (?) de degustar e conhecer vinhos da primeira região vinícola da Austrália. Quando a gente vê, já está em Swan Valley, distante apenas 25 Km de Bicton, na grande Perth. A placa cor de vinho embriagado dá as boas vindas aos corajosos turistas.

chegada a Swan Valey

Primeira parada: Sandalford Winery.

entrada na Standford

Segunda parada: Houghton Winery, com exposição de aquarelas de “Dez Smith” na adega.

segunda vinicola

Terceira: Uper Reach handcrafted Wine.

plantação de uvas

Quarta: Chesters Restaurant e Winery. descobri lá como fazer um pãozinho à milanesa cru, usando pão, azeite de oliva e Dukkah (um saboroso farelo de frutas secas, temperos e pimentas).

almoço

Última: Sittella, onde assistimos um casamento às 16:30h, ao ar livre, ainda num calorão vulcânico.

casamento vinícola

Entre uma e outra, uma rápida parada em vinícolas de nomes e vinhos menores. Quem já fez, sabe como é. No mundo todo, degustar vinhos segue um ritual muito parecido. Do Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves – RS/BR, a Napa Valley na Califórnia – USA, a Rota do Vinho na Espanha, França, Itália, Stellenbosch na África do Sul, chegando a Margareth River, enfim, aportando em Swan Valley, na Austrália. Chega-se e, ou você faz uma rápida visitação pela adega e uma aulinha sobre a produção do vinho, cultivo da uva, armazenamento em barricas de carvalho ou metal, etcetcetc., ou você encosta na bancada e segue um menu de degustação, começando pelos espumantes, brancos, rosés, tintos, fechando com vinhos de sobremesas.

primeira vinícola

Você também pode agendar uma degustação VIP, só você e o somellier. Conforme a região: sparkling chardonnay, moscateis e bruts. Sauvignon blanc, chenin blanc, verdelho, semillon sauvignon blanc, chardonnay. Cabernet sauvignon, shiraz, tanat, merlot, malbec, pinot noir. etcetcetc. Em torno de 30 a 50 ml de vinho por taça X 7 a 10 vinhos X 5 a 7 vinícolas + algumas repetições e dá para imaginar o resultado desta fruição de Baco. Existem algumas variações na degustação, conforme a sofisticação e organização do local e/ou região. Algumas vinícolas cobram pela degustação, outras não, e ainda tem aquelas que deduzem o valor pago para degustar na compra dos vinhos. Sempre é bom se informar. Pra quem não é ligado em vinho, algumas oferecem produtos ligados ao vinho, desde sabonetes líquidos e hidratantes a base de uva a taças, abridores, decanters, até, obras de arte. Sabe como é: depois de algumas taças de vinho, da mistureba toda … a vida se transforma na maior festa. Algumas dicas pra quem for degustar vinhos. Certifique-se do horário e dias de funcionamento de cada vinícola visitada, pra não correr o risco de encontrar o portão fechado. Faça uma relação dos vinhos que pretende comprar (raramente os melhores vão para degustação) e compre na loja da vinícola. Comprar o vinho na casa dele, normalmente é mais em conta que comprar no Brasil. Os $$$$ podem ser consideráveis. O Opus One (americano) que o diga. Quando começar a degustar, beba apenas do que gostar e se não gostar do vinho, despeje o restante no balde oferecido sobre o balcão. Sempre que possível, passe água no copo para que uma cepa não interfira no sabor da próxima (quando não são disponibilizadas taças próprias para cada vinho) É cada vez mais comum a degustação ser feita em apenas uma taça: dos espumantes aos vinhos de sobremesa. Se possível coma algo entre uma vinícola e outra. Raramente as vinícolas oferecem, por isso leve de casa “cream crackers”, para o caso de não encontrar nada durante o passeio. Se for passar o dia nesta ingrata tarefa, faça reserva em algum restaurante, o mais tarde possível. Com tanto vinho, depois do almoço a bobeira só aumenta.

descansando

Então deixe o almoço para o final, o que normalmente é o gran finale. E nunca se esqueça de definir quem será o motorista, caso não esteja em grupo ou excursão. No Swan Valley, a reserva foi feita no Chesters Restaurant. Afastado da West Swan Road, o restaurante tem um menu fantástico e segue à risca a ideia de que também se come com os olhos. Além de saborosos, os pratos são uma obra de arte. O local é simples, cercado por eucaliptos cheirosos, o atendimento atencioso. Recomendadíssimo.

O menu escolhido foi bem diversificado.

Antônio foi de Rib Eye of Beef: 350g of prime rib eye dusted in Ras el hanout, served with black eyed bean akara, spiced sweet potato & peanut puree (gf).

almoço antonio

Fernanda foi de Rack of Lamb: Herb and pistachio nut crusted rack of spring lamb served pink, with warm cauliflower, pea & mint puree, and beetroot glaze.

almoço fer

Elias foi de Kangaroo Fillet: Fillet of kangaroo crusted with in-house made Dukkah, served medium rare withroyal blue dauphinoise,lemon myrtle & pilsner damper, and native pepper berry jus.

almoço elias

Eu fui de Barramundi: Crispy skinned Cone Bay barramundi served with venison chorizo, roma potato $ red onion salsa, blue swimmer crab cakes, corn & coriander puree, and accompanied Grana Padano & herb polenta chips.

almoço susi

Uma aventura gastronômica indescritível. Bon Apetit.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s