Chove

chove lá fora!

a grama cresce. eu escuto.

os pingos caem. eu sinto.

 folhas se amassam no vento que canta.

cães latem, gatos miam.

as nuvens escuras da noite se chocam.

estrondam

como carros que deslizam nas pedras da noite,

molhadas e lavadas

– na prata da luz –

brilhosa e lustrosa.

rebrilham sussurros perdidos

e,

sons esquecidos.

chove na noite que cai.

no sono que vai.

Nina pula na minha cama.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s