Mais um mini

Miniálbuns são uma paixão. Viram adornos de mesa, enfeites de prateleiras e lembranças instantâneas de momentos incríveis. Fiz esse há bastante tempo. Faltava apenas registrar e documentar. Este B E L I E V E de papelão grosso comprei e deixei guardado. Um dia surgiria a ocasião para trabalhá-lo.

completoO passeio de balão em Águas de São Pedro, no interior de São Paulo, foi na medida pra explorar cada página exclusiva do mini. O primeiro passo foi selecionar os papeis, adornos e fotos. Cada página do papelão de cartonagem foi forrada com papel de scrap, as bordas foram lixadas e o acabamento feito com carimbeira marrom.

no chãoEscolhi um papel com o mote em balões (para ser recortado e usado em todo o mini) e usei restos de papeis com cores vibrantes que combinassem entre si.

air brasil no cestoO adesivo da empresa que fez o passeio – a Air Brasil – foi adaptada na foto recortada com o cesto, colada sobre um antigo papel de nuvens que recebeu glitter e cola transparente. Nos minis cada retalho faz festa e vira estrela.

balão de baixoTem foto que merece ser a página!

balão com floresTem foto que merece detalhes e recortes!

no altoDentro do balão o espaço é pequeno, mas vale registrar a vista do alto e os companheiros da viagem soporífera. Os papeis e tapetinhos acompanham o clima lilás da aventura nada radical.

empurrando balãoHora de reconduzir o balão que saiu do prumo e do rumo: a maior aventura. Hora de saltar, buscar fitas, recortes e mais cores.

enchendo o balãoCosturas são sempre bem vindas e uma constante nos meus scraps. Às vezes, a gente costura antes e cola depois – como neste caso, por causa da espessura do papelão. Já o contraste das cores da linha e dos papeis brinca com as cores do balão.

cafe da manhà

Hora do café da manhã. Espumante no potreiro, brindes, e sim, chegou todo mundo são e salvo. E, são apenas 9 horas da manhã. Passeio de balão começa quando o dia começa, ou seja, antes do nascer do sol.

testa felipe

A grande falha do mini: um buraco na testa do Felipe. Ao planejar as fotos e seus tamanhos, a reconstituição dos momentos, e a foto que abriria o álbum – sempre uso a que mais gosto para ser a primeira – , não percebi que ao perfurar o álbum para colocar a argola, furaria a testa do meu filho. Antes do crime, liguei e pedi: você prefere um furo na testa ou que cole outra foto por cima. Pode furar. Furei e ficou assim. De lá pra cá estou mais atenta a furos e fotos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s