Des-Espero

 Já chorei.

Já gritei.

Esperneei e me desesperei.

Me acalmei.

Sequei as lágrimas.

Vesti meu melhor sorriso.

Baixei o tom.

Me conformei.

A vida se remodela

na inconstância e na impermanência.

O céu azul acinzenta.

Clareia o sol

O dia viceja.

Des-Espero o que virá:

uma palheta cheia de tons,

carregados de vida.

Pontos rompidos,

uma constante permanência:

a calma de mais um mês.

pes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s