Castelos de areia

Um espertinho pensou:
faria eu castelos de areia na praia,
– uma dondoca –
queria eu, apenas, construir um lar
– porque não, uma dondoca? –
O castelo de areia dele,
– um espertinho –
na praia, desabou.
Nem água precisou.
A verdade
poderosa, límpida e transparente
afogou na areia
o pensamento do espertinho.
Castelos de areia
são para poucos.
Poucos resistem à verdade,
à transparência,
ao poder.
A pureza os leva:
Castelos e espertinhos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s