Ebulindo

Memorias e hormônios piruetam e cambalhotam,

saltitam Himalaias de altos e baixos.

Denunciam excessos. A falta.

Transbordam e se alastram no vazio.

Esqueço, me compadeço.

Hei de fazer espaço para

– o essencial –

aquele que embebeda a alma e alivia o coração.

Agora, tão apertado.

Que falar dos hormônios?

Senhores sem-vergonhas

Desconhecem a vergonha, desde tenra idade,

depois de refletir nosso torto e avesso,

de fecundar nossas libertinagens,

se extinguem.

Como bem disse Claudete:

eu era erupção, ebulição, pura tesão.

Virei chama de vela. Chama-piloto.

Incenso. Insossa.

O Everest escalou a Lua.

Submergiu no mais profundo dos abismos.

A natureza esperta, tira e dá.

Dá e tira.

Esqueço. Me compadeço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s