Chegarei

Queria tanto que a noite fosse universo. Interminável. Infinitamente longa.

Minha alma afogada, emergiria assim,

– tímida e combalida –

neste breu miserável.

Nua , crua, em sangue vivo.

Minha alma está negra.

Escura como a noite.

Escura como a morte.

Posso ser ardente como lava

Gelada como iceberg.

Por ora, mera tinta diluída,

Sangue viscoso, fluido e escorregadio.

Vagando entre dores e dissabores

Buscando, mas não sabendo nem como,

Nem onde quer chegar.

Sei apenas que chegarei.

Despedaçada, mas inteira.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s