A ilusão do amor

Da ideia do amor.

Do engano que é o amar iludido.

Amar é bom demais. Desamar acorda o ódio.

Amar é delirar, alucinar e perder –se de si mesma, da verdade, da razão.

Acordar desta insanidade é pulo e queda vertiginosa sem escalas, misericórdia e compaixão

na depressão, no desencanto, na dor.

É espatifar-se. Quebrar-se inteira.

Pra depois, logo depois … Louca para amar.

Mais uma vez. Só mais uma vez. Uma vez mais.

Se esborrachar de novo.

Eterna apaixonada pela ideia do amor.

Sedenta pelo prazer de amar.

Amar e ser feliz.

Um comentário sobre “A ilusão do amor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s