Hilda Hilst

Lendo Hilda Hilst, da poesia
– o livro de uma vida em poesia –
vivi seu lamento e dor.
A perda. O luto.
Como ela,
também inspiro lamentos.
Poesia que encerra infortúnio e desconsolo;
nos braços de um amante, rosas com espinhos e lua cheia. A morte.

Aposto que ela não ouvia nem o mar, nem a brisa, nem o pio da coruja.
Nem via alegria no brilho das estrelas.
Nem sentia o cheiro de maresia e jasmim e bolo recém saído do forno.
Poesia também rima com alegria.
Vou caçá-la feito borboleta, em dias ensolarados;
ou vagalumes, em noites de qualquer lua.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s