Evoluindo…

Na sociedade, dita matricêntrica, a mulher era o núcleo, a figura central. Como pariam os filhos e perpetuavam a espécie humana, eram valorizadas e importantes. Não se sabe quando o homem descobriu seu papel na reprodução, mas foi a partir de então – segundo antropólogos e estudiosos – que eles passaram a controlar a fecundidade das mulheres e assim a controlá-las como pessoas.

Com a descoberta dos anticoncepcionais – na década de 60 – a mulher retoma o poder de gerir sua própria fecundidade, além de separar definitivamente, sexo e prazer. Cabe a ela decidir se, quando e quantos filhos quer ter. Ao mesmo tempo, a Revolução Industrial com todos seus progressos e facilidades, criou uma indústria moderna que dispensava, na maioria das vezes, a força física do homem, permitindo à mulher manter-se a si própria e a seus filhos.

Assim, a mulher, o casamento e a própria sociedade começam a mudar significativamente e inexoravelmente. Em 1977 é aprovado a lei do divórcio no Brasil e com ele novas e mais profundas mudanças acontecem na sociedade brasileira. Famílias se separam, se dividem. Outras se somam e se multiplicam.

Há quem diga e acredite que a família está se espatifando e acabando. Perdendo seus alicerces e sua estrutura, se desconjuntando e transformando-se numa entidade deformada e anormal.

Particularmente, acredito que a família apenas está mudando e se adaptando a novos tempos e novas necessidades. Não acredito na extinção da família. Acredito na evolução da família como única forma de se perpetuar e sobreviver.

uma flor para vc

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s