Viagem no tempo nas minas gerais

Aportei em Ouro Preto e me transportei

para os séculos passados:

a escravidão nas minas, a crueldade portuguesa,

os amores, as artes … a eterna exploração

do país, do povo, dos costumes, de uma raça inteira.

Ouro Preto

Do passado fui direto ao futuro: Inhotim – em Brumadinho.

A arquitetura das galerias e o paisagismo envolvente

são arte consagrada e exportada mundo afora.

Já os artistas … prefiro não opinar. Hei de entender.

Cada um com seus gostos e conceitos…

Comprei o livro de 462 páginas: Inhotim.

Vou ler.

BH5

De lá adentrei o sertão norte-mineiro,

entre árvores retorcidas, ipês brancos e amarelos floridos

e o circuito Guimarães Rosa – Grande Sertão Veredas.

O tempo presente pouco passou daquele tempo distante.

A pobreza, o calor e o atraso de toda uma gente

me transportou para aquela velha Ouro Preto.

O passado aqui ainda se faz presente.

Refresco foi o Velho Chico.

BH6

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s