O vento

Da sala que vive em mim

vejo o capim elefante se agitando.

Nina adorava comer do pasto que nasce solto e esvoaça ao vento.

Vento que leva e traz.

Que açoita e tanto faz.

Seria este agito um convite?

O vento que me guie num adeus pra não mais voltar.

Da sala que vive em mim uma visita inesperada.

Outros gatos se avizinham.

Avizinharei com eles.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s