Estranhamente perfeito

Lá fora a neblina marítima engole a todos, feito nuvem baixa.

O sol, ao longe, tenta. Até tenta. Repudiado, apenas observa.

Olho pela janela. Nas vidraças a maresia se impregna.

Dificulta o olhar. O mar.

Recolho-me. Introverto-me. Vou ler e espairecer.

Os Diários de Susan Sontag inspiram.

A vida registrada em lembretes, listas e observações.

Uma estranha autobiografia. Estranha e absurda. Perfeita.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s