Último post

Quando comecei a escrever o blog, não tinha ideia do quê, pra quem, nem quanto tempo escreveria. Queria apenas um espaço para publicação de pequenos textos, ideias, o dia a dia, os scraps. Enquanto não surgisse uma ideia para um projeto maior era no blog que eu desaguaria minhas escrevinhações. O tempo passou, acrescentei categorias, subdividi-as, exclui outras, comprei o domínio do blog, me empenhei e me embrenhei num compromisso semanal de manter atualizadas minhas ponderações e opiniões. 8 anos. O tempo do bysuzete.com. Os textos estão guardados. As fotos, idem. É deste material que podem nascer projetos maiores: o livro de poesias e miniaturas, o livro de viagens, o setênio da menopausa. Ou não. Talvez o objetivo do blog tenha sido apenas esse: o registro da passagem do tempo sem maiores projetos.

2019 iniciou e com ele novas perspectivas: O retorno às raízes, ao consultório, a um mestrado em psicologia. Preciso de tempo e espaço. Talvez o romance Longe de tudo e de todos, revisado e renovado, ganhe vida. Para que o novo vingue, o antigo deve ser esvaziado. Como tudo na vida, sabia que um dia acabaria. Se transformaria.

Meu muito obrigada a meus seguidores, aos que liam, curtiam e comentavam no blog. Chegou a minha hora de segui-los e ler o que escrevem, com a certeza de que a gente ainda vai se ver por aí.

Até mais.

Destaque

Canção de ninar – Leila Slimani

“Com uma tensão crescente construída desde as primeiras linhas, Canção de ninar trata de questões que revelam a essência dos nossos tempos, abordando as relações de poder, os preconceitos de classe e entre culturas, o papel da mulher na sociedade e as cobranças envolvendo o maternidade.” (comentário da quarta capa)

O livro da marroquina Leila Slimani é tenso. Muito tenso.

Maravilhosamente bem escrito, os dilemas de um casal e de uma mãe em busca de realização profissional e sucesso financeiro, vão dando espaço para que o perfil psiquiátrico e perverso de Louise, a babá contratada para cuidar de Mila e Adam, vá sendo construído. Com recortes precisos, o ápice da trama, a morte das crianças – o terror e o horror de qualquer pai e mãe – vai se desenrolando entre indecisões, incertezas, medos e ambiguidades. Prepare-se para o desconforto e o arrepio na espinha.

Leitura recomendadíssima.

Não vai dar tempo

Toda vez que organizo os livros da biblioteca de casa tenho a sensação de que não vai dar tempo de ler e reler todos os livros distribuídos pelas prateleiras e mesas de casa. Tem livros recomendados e anotados numa lista gigantesca de possibilidades para comprar. Tem livros que ainda nem foram lançados.

E aí me lembro de todos os cursos e coisas que quero fazer e lugares pra conhecer; de vidas que gostaria de experimentar, pessoas pra rever, trabalhos pra concluir. São coisas demais.

Certeza de que não vai dar tempo. Quando chegar a hora, o que tiver de acontecer, o tempo simplesmente deixará acontecer.

Cuca Fundida

A noite foi de sono moído e por isso li até quase o dia raiar, mesmo sabendo dos vários compromissos e pendências da exposição Diálogos do Inconsciente, em Lajeado. Enquanto espero pela livreira Stela, meu olhar cruza com o livro “Cuca Fundida” de Woody Allen. A identificação foi imediata.

Do autor li o brilhante “Adultérios”.

“Cuca fundida” é estranho. Literatura fantástica estranha. Estranhamente, é só o que tenho a dizer.

Souplat de crochê

Minha amiga Isa disse que fez mais de 200. Por isso me deu a receita do modelo. Ela já sabe de cor. Imagino. Estou no sexto souplat e também – quase – já sei de cor.

Fácil e rápido de fazer, o modelo fica uma graça para servir a mesa no maior capricho. De repente me animo e faço como Isa. Um montão de souplats pra dar de presente e vestir a mesa de todas as cores. A ideia me agrada.

A receita é fácil de seguir e a maior dica que posso dar é: comece com 7 correntinhas e fique atenta aos pontos baixos e baixíssimos. São eles que definem o acabamento perfeito.

 

A arte da guerra – Sun Tzu

“Sobre o autor

Considerado um dos maiores estrategistas bélicos, Sun Tzu foi um general chinês e profundo conhecedor de táticas militares, alcançando em sua carreira, inúmeras vitórias. As ideias de sua obra mais conhecida, A arte da guerra, foram adotadas por consultores e executivos das mais variadas áreas, por serem, até hoje, consideradas de grande importância nos campos militares e estratégicos. Apesar de não haver nenhuma biografia fidedigna de Sun Tzu, sabe-se que ele viveu na China por volta do século IV a.C.”

(A arte da guerra, pg. 95)

Da série : Vou ter de reler. O livro é recomendadíssimo.

Não que a vida seja uma guerra. Mas todos os dias somos colocados frente a uma série de escolhas e posicionamentos. A visão que Sun Tzu tem da guerra, ajuda a pensar formas alternativas para enfrentar situações estressantes e de conflito. Algo absolutamente necessário nos dias de hoje. Interessante perceber as diversas perspectivas e possibilidades que qualquer embate representa.