Um scrap-planner pra iniciar 2021

Para o ano, um Planner. Que seja prático e bem utilizado.

Para o Planner, material antigo, restos de papel, fita dupla-face, cola especial para scrapbooking, um pouco de inspiração e algum trabalho. 

Ando às voltas com meu atelier, arrumando e organizando materiais de todas as artes que me tocam. E sim, percebi que não escrevo, nem faço scrap há uns 3 anos. Outras artes tem me envolvido mais. 

E o scrap é um dos objetivos do ano: reformar, limpar e fazer álbuns novos. Alguns. E o Natal, como venho percebendo ano após ano, é logo ali. Redescobri nas prateleiras e fundos de gavetas, páginas e álbuns iniciados, mini-álbuns e material do Extravagance 2013, intocados. Visualizo presentes inesquecíveis para pessoas  igualmente inesquecíveis em minha vida. Os álbuns-presente de Natal e suas providências (basicamente a impressão de fotos) estão sendo devidamente anotados nas páginas de Planos&Metas da Planner, que aparecem no início de cada mês. Ainda não sei bem por onde começar … ou melhor, até sei. O primeiro passo é fazer um levantamento de fotos já impressas, encontrar os diários de viagens, escrever os textos, reconhecer e separar os materiais, e … a ideia é boa. 

O Planner é o projeto de janeiro. Concluído.

Registros de viagem

Foi-se o tempo em que na volta dos passeios, viagens ou comemorações, ia-se direto às Fotópticas e H.Meyers para revelar fotos, comprar álbuns e escrever etiquetas. Depois estes álbuns viravam livros de viagem, comemorações e passeios mostrados orgulhosamente para amigos e familiares.

Depois veio a fase dos álbuns de scrap. Além das fotos – agora digitais e portanto impressas – papeis, folders, ingressos, rendas, flores, botões e outros tantos adornos, embelezavam um novo tipo de álbum. Este, com status de álbum artístico e toques jornalísticos, tipo “jornaling”, sacramentava nossas viagens com diário, impressões, cabeçalhos, letras, etcetcetc. Amei fazer mais de 10 álbuns de viagens. São verdadeiras obras de arte, que esporadicamente precisam ser re-colados. Infelizmente o tempo e as variações climáticas acaba descolando fotos e apetrechos.

Depois vieram os álbuns tipo “smash”. Não me adaptei. Tenho dois inacabados. Com grandes chances de continuar assim.

Aí foi um flerte com os álbuns com fotos Polaroid. Poucos clicks.

De alguns anos para cá, comecei a fazer posts com fotos, roteiros, dicas, impressões. Criei a categoria Lugares no blog bysuzete.com. São mais de 60 posts. É lá que tenho registrado lugares incríveis e viagens inesquecíveis. Tipo Alasca, Rota 66, Santiago de Compostela, Tailândia … É só clicar na categoria Lugares e deixar-se levar.

Hoje, ao ler sobre uma viagem, feita anos atrás, me deparei com tantas informações que acabei lendo todos os posts que escrevi ao longo dos últimos anos. De uma época em que imaginava escrever um livro sobre dicas e lugares incríveis por onde passei.

Surgiu daí a ideia de recontar viagens de outros tempos.

Belo jeito de acender a memória e praticar a escrita. Por ora, apenas um projeto.