Duas rodas pelas Rochosas no Canadá

De Calgary a Vancouver – no Canadá – de Harley Davidson. Segunda aventura sobre duas rodas na América do Norte nos últimos tempos. Diferentemente da seca Rota 66, as Montanhas Rochosas reservam chuva, frio, neve e gelo.
saindo de CalgariA primeira parada aconteceu em Banff, a 200 km de Calgary, abaixo de chuva e frio de 7 graus, três calças, dois blusões de lã, casaco de couro e roupa impermeável, dois pares de luva e meias – sim, estou quadrada e ágil como uma astronauta.

banf 7 grausIndo em direção a Lake Louise e Moraine Lake encontramos um grupo de motoqueiros brasileiros. Viajar em grupo faz esquecer o frio. A paisagem nevada esconde belezas e um perigo, uma fina lâmina de gelo.  Precisamos ficar atentos com a pista escorregadia.

Moraine LakeLake Louise foi o lugar mais fotografado – perdi a conta dos flashes – e muito bem explorado. Depois de dois dias nublados, chuvosos e gelados, amanhecemos com um sol tímido mas cheio de promessas.

lake louise 3O lago é de um azul espetacular.

lake louise 4

Viagem em grupo organizado pelo próprio grupo tem destas coisas: campo, flores, aspargos, morangos, montanhas, gente perdida-nervosa-estressada, testosterona em alta, jantares bons ou apimentados até a alma, passeio de moto com os principiantes, sol, chuva, casamento de viúva, enxaqueca, muitos cafés, chocolates quentes, vinhos, curvas, pinheiros, pileques, neve, lábio rachado, cabelo enozado, dor nas costas, frio, emoção, arrepio, aventura, sonho, hotel de ***** e de beira de estrada, amigos, beijos, abraços, malas, malas e mais malas, 1500 Km, para-olha-volta-pergunta-seinforma-continua… um carro de apoio.

CHEGANDO A VANCOUVER

A chegada em Vancouver – pra variar – foi tumultuada e estressada. Parte do grupo devolve as motos, o carro. O outro grupo faz “check in” no navio, cria confusão com documentos e idioma. Uma mochila perdida. Nada que sete dias de cruzeiro pelos fiordes do Alasca não acalmem.

Voltando

Não sei se estou

avoada

motoada

mareada

trenzada

caminhada.

A mente continua voando,

o corpo, navegando.

Na cabeça, curvas e retas.

Pernas ressentidas cobiçando mais passos e percalços.

O olhar

– este teimoso –

insiste na paisagem silenciosa e preguiçosa.

Sempre Majestosa.

Voltar pra casa

exige equilíbrio e estabilidade,

sanidade para a realidade.

Da rotina. Do dia a dia.

Hora de apertar o botão OFF.

– fim de linha –

Hora de pegar outro trem, outro voo, outro navio.

Hora de deixar a vida escolher

o rumo e a jornada.

Lake Louise, Canadá. A paisagem refletida e invertida no lago. Inesquecível!!!!
Lake Louise, Canadá. A paisagem refletida e invertida no lago. Inesquecível!!!!