Getúlio

Ontem, uma hora antes do debate entre os presidenciáveis na Globo e a entrevista do Bolsonaro na Record, assisti ao filme “Getúlio”, na Netflix. Política é bicho esquisito desde sempre. E quanto mais vemos e lemos, menos entendemos; mais nos assustamos, mais nos decepcionamos.

O filme, continua … muda o cenário, os protagonistas, as artimanhas, as maquinações. Mas o apetite pelo poder continua o mesmo, ou até pior. Devastador e aniquilador. O país e o povo, que se fodam. Importa a soberania sobre a riqueza deste país. Da carta testamento – recomendo a leitura do texto completo – escrita horas antes do suicídio de Getúlio Vargas, reverberam ainda suas últimas palavras: “Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na história.”

Terminado o filme – que também recomendo -, assisto o final da entrevista de Bolsonaro na Record. Depois, assisto alguns minutos do debate na Globo. Desligo a televisão. Desligo meu desejo de entender.

Quem sabe um dia, a História explique. Ou justifique.