Hormônios

Até o começo do século XVIII, não se conhecia praticamente nada sobre o climatério, já que a expectativa de vida da mulher era baixa. No século I, as mulheres mal chegavam aos 25 anos de idade. No século XX, os hormônios foram descobertos, e a partir de então, iniciaram as pesquisas e as primeiras intervenções no tratamento dos sintomas da menopausa. Considerado uma droga milagrosa, o estrogênio foi aplicado inadvertidamente nos anos 60, provocando o aumento do câncer do endométrio, mais tarde contornado com a administração da progesterona. Atualmente, a reposição hormonal continua sendo assunto polêmico : tem os que defendem, tem os que condenam. Existem vantagens e desvantagens, riscos e contraindicacoes. convém salientar que a terapia de reposição hormonal não retarda o envelhecimento e precisa de acompanhamento médico. Deve ser associada a dietas ricas em cálcio e proteínas e pobres em gorduras e açucares. Os exercícios físicos completam os cuidados básicos desta fase.

Ebulindo

Memorias e hormônios piruetam e cambalhotam,

saltitam Himalaias de altos e baixos.

Denunciam excessos. A falta.

Transbordam e se alastram no vazio.

Esqueço, me compadeço.

Hei de fazer espaço para

– o essencial –

aquele que embebeda a alma e alivia o coração.

Agora, tão apertado.

Que falar dos hormônios?

Senhores sem-vergonhas

Desconhecem a vergonha, desde tenra idade,

depois de refletir nosso torto e avesso,

de fecundar nossas libertinagens,

se extinguem.

Como bem disse Claudete:

eu era erupção, ebulição, pura tesão.

Virei chama de vela. Chama-piloto.

Incenso. Insossa.

O Everest escalou a Lua.

Submergiu no mais profundo dos abismos.

A natureza esperta, tira e dá.

Dá e tira.

Esqueço. Me compadeço.