A loucura do amor

Você que me assassinou de todas as formas possíveis; Apunhalou meu coração, fuzilou-me infielmente. Estrangulou minhas palavras, sufocou minha alegria, dinamitou meu amor próprio, ridicularizou meu eu. Me fulminou inteira, sem deixar traços nem rastros.

Te amo, te odeio.

Me larga, me afasta.

Vá.

Esqueça-te de mim.

Perdoa-me. Prenda-me.

Sei que não me mereço.

Volte.

Me tome inteira.

Me mate de tanto me amar.

E vá. Vá sempre. Vá.

Mas jamais, jamais esqueça de voltar.

Esta sim, seria a mais violenta e perversa de todas as loucuras.

Qual o louco que te habita?

 

Simpático ativo. Parassimpático passivo.

Ansiedade é medo sem objeto?

Transfundos … mutáveis ou estáveis?

Qual o louco que me habita?

Qual o louco que te habita?

Somos todos carbono querendo ser diamante.

A serpente feminina é úmida e fria. Água e ar.

A mulher é lua.

A serpente masculina é quente e seca. Terra e fogo.

O homem, sol

A lua negra se liga ao último pecado. A cabeça de dragão que degola.

Fase, ciclo ou processo.

Casa, signo ou planeta.

Escorpião opõe-se a Touro. Ambos precisam lutar. A casa é do guerreiro.

Na roda dos chacras a matriz precisa ser tratada.

O caminho da verdade: astrologia antiga, suméria. Cabalística.

Astrologia médica. Fotografia cósmica do nascimento.

O espírito chega na mãe 3 meses antes da concepção, plasmando-se nela.

Tendência ou Ciência?

Uma viagem às catacumbas da astrologia e da alquimia.

Crível? Passível de digestão.

A sabedoria é global, interplanetária e intergaláctica.

Intermundos e intertempos.

Ela vem de todos e de tudo.

Qual o louco que te habita?

Aquele que me habita ferve como ovo do fogo do inferno.