“Tem alguém aí?”

Tem alguém aí?

Pelo visto a autora – Marian Keyes – é a que mais li até agora. Fiquei feliz e surpresa com seu sétimo livro lido. A morte dá o mote do enredo mostrando a viúva Anna em busca de alívio para a dor da perda do marido Aidan, seu envolvimento com médiuns, com o trabalho, amigos e a própria família. Dei boas gargalhadas, chorei, me emocionei com os personagens e suas histórias. Pra quem gosta do estilo da autora, um dos melhores títulos. Recomendadíssimo.

“É agora……ou nunca”

Meu sexto livro Marian Keyes. O quinto nem cheguei a comentar: “A Estrela Mais Brilhante do Céu”. A meu ver, o mais fraco de todos. Tenho ainda na prateleira o ainda não lido “Tem alguém aí?” Ou seja, sete livros da mesma escritora. “É agora ….. ou nunca” foi uma leitura de 15 dias. Algo inédito em se tratando de Marian Keyes. Acho que seu jeito humorado, irônico e sarcástico tenha chegado a algum nível de saturação. Sempre lia Marian entre os livros mais densos, apesar de serem livros com mais de 500 páginas. A leitura leve e engraçada sempre foi bem-vinda e fluía maravilhosamente bem. Se bem que meus dois últimos não seguiram esta regra. Desconfio que cheguei a meu limite com o estilo da escritora. Quem sabe seja apenas um refinamento ou amadurecimento literário. Possivelmente o sétimo trará a resposta. Mas quanto ao “É agora …… ou nunca” o livro narra a história de três amigos – Tara, Fintan e Katherine – vivendo conflitos pessoais. As histórias se complementam e se enriquecem. O texto é inconfundível. Um dos temas comuns aos livros de Marian é o alcoolismo (ela própria uma ex-alcoólatra), mas neste, a sexualidade dos personagens é quem aparece de forma mais destacada.