Você sabe ler?

 

Pois foi esta pergunta que um oftalmologista me fez. Tinha acabado de lhe responder que meus dias aconteciam entre livros, tintas e outras artes e fiquei sem resposta. Óbvio que eu sei ler respondi ofendida à pergunta estranha. Quero saber se você sabe como ler de forma adequada. Entendi. Quantas horas você lê por dia? Depende. De 30 minutos a 7 ou mais horas. Ele arregalou os olhos e me disse que eu realmente não sabia ler. Buscou um desenho esquemático de um olho e me mostrou a estrutura de músculos utilizados e necessários para que possamos enxergar. Por duas vezes me disse que o olho humano foi programado para localizar e fugir dos predadores e encontrar caça para sobreviver e não para passar horas lendo, digitando ou escrevendo. Ok, entendi. O correto é ler 30/35 minutos e parar 4/5 minutos para descansar a musculatura do olho. Ler agride o olho, enfatizou o médico, assim como correr agride os músculos das pernas. “Você pode ler o tempo que quiser se respeitar estes períodos de descanso. Além do que, seu cérebro também não registra tudo o que você lê durante todas essas horas. Ele também é um músculo e precisa de períodos de descanso.” Saí da consulta feliz por não ter aumentado o grau das minhas lentes. Seu problema é fadiga ocular, sacramentou o experiente profissional. Normalmente ocorre uma estabilização no grau dos óculos entre 51 e 52 anos. Existem exceções. Porém, muito raras. “Faça óculos para perto com a lente mais barata que você encontrar. Esses anti- reflexos, anti-riscos são só pra encarecer o valor das lentes. Não fazem grande diferença.” Adorei o médico. A conclusão a que cheguei é de que meus olhos e cérebro são meus músculos mais sarados. Para o cérebro sei o quanto é importante esta malhação inclemente para evitar doenças degenerativas como o Parkinson e o Alzheimer. Saber que o declínio da visão se estabiliza entre 51 e 52 anos foi uma novidade muito bem vinda. Aquela receita médica irá para a pasta de documentos, já que daqui pra frente será sempre este o grau das minhas lentes. Que venham armações de cores vibrantes e formatos charmosos. A sugestão foi do próprio oftalmologista. Outra sugestão foi que escrevesse este post. Taí, depois de quase 30 dias sem escrever.