Madrastas e padrastos

“Quando a pessoa é madrasta ou padrasto – não importa o quanto seja maravilhosa, o tanto de amor que tenha para dar, o quanto seja madura, inteligente, sábia ou bem-sucedida – , ela corre o risco estrutural de ser odiada ou alvo de ressentimentos, e não há muito que fazer, exceto resistir e se comprometer a plantar sementinhas de sensatez e amabilidade, apesar das merdas que possam aparecer no caminho. E não espere que o cultivo gere elogios, mas padrastos e madrastas são intrusos, autossuficientes, malandros, poluentes, molestadores.”

(Argonautas – Maggie Nelson, p.26)