Meu estilo smash

Sem a capa protetora. Por enquanto está assim. Originalíssimo.
Sem a capa protetora. Por enquanto está assim. Originalíssimo.

Comprei meu primeiro smash quando fomos para o Kruger Park/Perth/Tailândia e ainda estou registrando aquelas viagens. Como fiz vários posts sobre os lugares que visitamos e postei no blog, preferi imprimi-los em papel vegetal – adaptando ao tamanho do smash – colei com fita dupla face, selecionei pouquíssimas fotos, fiz paineis com outras, colei ingressos, tickets, etcetcetc. Nada de páginas + páginas de scrap. Estou amando este jeito de registrar nossas viagens. Até agora está ficando assim:

O programa da viagem, do jeito que a gente faz.
O programa da viagem, do jeito que a gente faz.
Jornal do Kruger + foto + folder + texto impresso em papel vegetal
Jornal do Kruger + foto + folder + texto impresso em papel vegetal.
Paineis do MAC. Pontos altos do Kruger e Perth.
Paineis do MAC. Pontos altos do Kruger e Perth.
Bancoc + texto + cartão do hotel + fotos + tabela de conversão de baths para reais
Bancoc + texto + cartão do hotel + fotos + tabela de conversão de baths para reais.
Adoro fotões com algumas anotações escritas à mão.
Adoro fotões com algumas anotações escritas à mão.
Página em criação. Foto + ingresso + pêndulo do Sino de Buda com meus desejos para 2013.
Página em criação. Foto + ingresso + pêndulo do Sino de Buda com meus desejos para 2013.

Durante o Scrap Extravagance 2013 tivemos algumas oficinas de smash. Vou usar alguns dos materiais apresentados. Mas, assim como no scrap, prefiro os materiais de viagem e poucos adesivos e acessórios. Algumas páginas do smash extravagante.

DSC06304

Esta é a primeira página interna do smash e introduz o tema do mesmo: os anos 80.

Estilo Scrap Chiquetoso.
Estilo Scrap Chiquetoso.

Carimbos, flores, botões, tags, etcetcetc. Agora preciso providenciar conteúdo: fotos e texto.

Meu estilo de ser e vestir.
Meu estilo de ser e vestir.

Foram pouquíssimas as páginas trabalhadas. Um smash inteirinho pra mim. Próxima viagem vou – de novo – de “Smash”. Adorei a praticidade e a versatilidade de registrar o dia a dia dos dias intensos que se vive viajando. Ou qpenas, vivendo.

Terapia Intensiva – 4 dias de Scrap Extravagance

Diário estressante de uma extravagante em ritmo alucinante! Uma ideia do que foram os quatro dias de Scrap no Extravagance 2013.

Festa na chegada!
Festa na chegada!

Primeiro dia: A saída de São Paulo atrasou. Sempre tem alguém que não chega … se atrasa … não aparece. Com isso, chegamos atrasados em Campinas. Enquanto todo mundo não chega, nada acontece. Malas na recepção e nos encaminhamos para a Casa de Campo do Hotel Royal Palm Plaza – Resort Campinas. Abre parênteses: do resort só vi meu quarto, o salão do café da manhã e a Casa de Campo, onde acontecia o evento e a recepção. A piscina sorria e as placas de fitness e sauna eram apenas um lembrete do que mais existia por lá. Fecha parêntesis. Cafezinho, suco, expectativa, gente desconhecida. Quem é aluno? De onde é todo mundo? Quem é professor? O som aumenta, as portas se abrem, 84 scrapeiras entram no salão. Acanhadas, encantadas, perdidas, fascinadas. Mesmo que a mesa tenha sido marcada, onde é mesmo que a marquei no mapa do salão? Me localizo e vou até ela. No palco, à minha frente, a equipe de designers dança ao ritmo de músicas dos anos 80. Os aventais pink colorem o palco e em seguida se espalha pelas mesas. As boas-vindas pouco interessam. Noções básicas de Digipix, soam distantes. Primeiro projeto. Os olhos ainda não se acharam. O excesso de materiais polui e ocupa a mesa enorme à minha frente.

Metade esquerda da minha mesa.
Metade esquerda da minha mesa.

Embaixo dela, uma caixa com doze projetos, separados um a um, na ordem em que forem apresentados. Mais uma caixa com embalagens de  materiais em uso. O primeiro projeto exige pintura com gliter e tinta preta. Uma porquice. Me atrapalho com a parte úmida. Deixo os materiais secarem e identifico materiais desconhecidos. Volta e meia somos alertados quanto ao tempo. Desisto de usar as flores de papel no projeto. Não gosto. À minha frente, a bagunça é infernal. O tempo acaba. Ensaco o restante do projeto e nem sinal de tocar na folha 2 do projeto 1. Tento organizar o possível a mesa e somos avisados sobre o projeto com Smash – 30 minutos – ok, só colagem de adesivos. Finalizo a primeira página. Coffe break.

Bolinho na medida exata!
Bolinho na medida exata!

Mais 30 minutos de Smash. Das duas folhas, finalizo uma. Segundo projeto do dia. Somem minhas fotos dos projetos da mesa, perco o fio da meada, e termino, de novo, apenas uma das duas páginas. Resultado do dia: 50% concluído. O dia acaba e é hora de customizar uma camiseta branca. Organizo a mesa. Identifico os materiais. A noite é de festa. Rock de banda. Só quero minha cama, Mario Quintana, o silêncio da noite. Amanhã é um novo dia. 4 projetos. 8 páginas. 50% de novo? Que seja. Pelo que eu soube, é assim mesmo. Então nada de stress. O negócio é curtir.

Minha festa particular.
Minha festa particular.

Segundo dia, 23 horas: Ai, minhas costas. Preciso urgentemente de uma academia pra fortalecer os músculos lombares. Foram 12 horas de scrap. Sentada numa cadeira, recortando, colando barras, papeis, adesivos, prendendo bailarinas, botões e grampos, procurando materiais, pintando, stressando folhas, olhando projetos, prestando atenção nas monitoras, na professora – e o gnomo insaciável, comedor de material que some com as peças – as unhas laranja elástico empreticidas pela tinta preta, os materiais que milagrosamente dão o ar da graça, Megui, Ju Mansur, Beto Cesari – o melhor até agora, aplaudido de pé -, Dani Bion,  Tânia Martins, projetos cronometrados … atividade frenética.

A tinta branca foi parar nos cabelos. rsrsrsr
A tinta branca foi parar nos cabelos. rsrsrsr

Uma paradinha para almoço. Outra para coffee break. Enfim, o jantar. Lá fora, ainda rola a música de sucessos nacionais mais recentes. E gente dançando. É, realmente preciso melhorar meu condicionamento físico. São 23h e todo meu desejo são sono e sonhos. Depois de 3 taças de pró-seco e 3 fatias de pizza ( calabresa, tomate seco com rúcula e de palmito), uma tarde regada à jujubas e gomas, 8 páginas de scrap, vários equipamentos desvirginados, praticamente 95% dos projetos concluídos, eu mereço.

Alguns punhados de carga rápida por dia. Jujubas e gomas. Minha extravagância calórica.
Alguns punhados de carga rápida por dia. Jujubas e gomas. Minha extravagância calórica.

Ao chegar no quarto mais uma surpresa. (Vou ficar mal acostumada e tô adorando isso. Mimo é tudo de bom. Devo ter grampos, botões e adesivos pra 10 anos). Amei os mimos ao chegar no quarto. O avental vermelho da Casa da Casa da Arte – Keep Calm and Love Scrapbook -, a bolsa de brim da Singer, os dois projetos de scrap sobre a cama, a caixinha de palha com bombons.

Surpresa ao chegar no quarto! Mimos,mimos e mais mimos.
Surpresa ao chegar no quarto! Mimos,mimos e mais mimos.

Céus. Por onde começo? De trás pra frente? Foi tanta coisa. Um único dia. Adoro meu estilo e jeito de fazer scrap. Me apaixonei por outros jeitos. Tenho adorado pintar, respingar e borrar papeis. Ganhei um grampeador de “Fastenater”. E que fartura de grampos: pretos, brancos, sun, love, listrados, de bolinhas, verdes, cromados, vermelhos … Acredita que aprendi e ganhei uma ITop –  equipamento de forrar botão e fazer pin com papel (imagino que pode fazer com tecido também). 23:32h. Hora de um bom banho, um pijaminha macio. É por onde devo começar. Amanhã vai ser pedreira de novo.

Na minha janela tinha este verde .... alguns minutos de meditação pra despertar inteira.
Na minha janela tinha este verde …. alguns minutos de meditação matinal pra despertar inteira.

Terceiro dia: Hoje à noite a festa bombou. Músicas da Xuxa, Balão Mágico, Wando, sucessos nacionais e internacionais dos anos 80. A mulherada caprichou no visual. A festa temática é, quase como se fosse, à fantasia. Balada trash 80’s.

A galera se esmerou. No próximo Extravagance vou tentar entra no clima. Neste não deu.
A galera se esmerou. No próximo Extravagance vou tentar entrar no clima. Neste não deu.

Terceiro dia de maratona de scrap. Dia de terminar projetos, embalar materiais e se preparar para o “check out” e a aula da manhã seguinte. Quando terminei de empacotar e embalar meus materiais já era 21:30h. Mais de 12 horas funcionando. O burburinho do dia mais o som da noite, o jantar regado a espumante, algumas fotos da noitada dos outros e me recolhi.

4 volumes pra ser despachados. Quem volta de avião sofre com o peso extra e excesso de bagagem.
4 volumes pra ser despachados. Quem volta de avião sofre com o peso extra e excesso de bagagem.

Hoje foi dia de 3 projetos, Gil Jussara, Tânia Terzi, Ane Sereguetti, Nana Nassar, demonstração de equipamentos (tintas Ranger, Canetas Chromatix … ) e 4 páginas de “Smash”. O cansaço físico é indecente. Os materiais começam a ser deixados nos apartamentos. 0:35h. Preciso dormir.

Quarto dia: Acordo cedo. Faço “check out” e sou a primeira a chegar ao café.

O arranjo de flores não é uma tentação?
O arranjo de flores não é uma tentação?

A manhã é mais tranquila – depois da noitada de muitos – com demonstração da “Silhouete Cameo” e o último projeto do Extravagance: uma Escultura de Papel.

Uma escultura de papel doce e colorida!
Uma escultura de papel doce e colorida!

Vlady é o professor. Depois, compro algum material da “Bicho Grilo”, hora de confraternizar com as colegas, almoçar e retornar à São Paulo.

Obrigada à equipe que preparou todo o evento. Amei! Vocês merecem todas as palmas e os parabéns!
Obrigada à equipe que preparou todo o evento. Amei! Vocês merecem todas as palmas e os parabéns!
Excessos de bagagem, materiais e alegria. As malas voltam cheinhas para casa.
Excessos de bagagem, materiais e alegria. As malas voltam cheinhas para casa.

Chego em SP às 17 Horas. Exausta e feliz. Agora é hora de organizar e curtir os materiais, concluir alguns projetos, montar o álbum e esperar pelo próximo Scrap Extravagance, em 2015. Conheci gente querida de todo Brasil. Gente, assim como eu, apaixonada por Scrap. Aprendi técnicas novas, a manusear materiais e equipamentos. Fiz projetos belíssimos. Valeu. Durante a semana, à medida que for concluindo – dos 12 projetos, apenas 3 estão 100% concluídos – vou postando fotos e mais detalhes dos dias maravilhosos que vivi em Campinas. Mesmo assim, fotinhos de alguns projetos.

DSC06117

DSC06100

DSC06105Em todos os projetos acima faltam alguns detalhes e acabamentos. Mesmo assim, estão graciosos, não estão?

Anos 80 – Scrap Extravagance

10x10 ficou assim.
10×10 ficou assim.

Vou participar do Scrap Extravagance 2013 em Campinas/SP, amanhã, do dia 15 ao dia 18 de maio. O tema do evento será os anos 80. Quando me inscrevi imaginava que só precisaria arrumar malas e ir, curtir quatro dias de scrap, conhecer pessoas bacanas, novos equipamentos e ferramentas, aprender novas técnicas, fazer projetos belíssimos, participar de muitas brincadeiras. Desestressar. Na época em que me inscrevi – no meu pós-retoque – era tudo o que eu queria e precisava. Fui uma das primeiras a me inscrever e uma das que mais brindes recebeu neste período. Mês a mês eu recebia minha sacolinha com meus mimos de scraps (revistas, papeis, álbuns, etcetcetc).

Mimos à espera de atividade.
Mimos à espera de atividade.

Depois fui convidada a seguir o blog das Extravagantes onde os materiais (que a gente ganhava de brinde) eram trabalhados pelos designers de scrap do evento. Até aí, somente sugestões. Fazer scrap, assim como escrever, ler, fazer academia e dieta – pra mim – é questão de estado de espírito, então, nem todo dia, é dia. Precisa de inspiração. Postei algo sobre o Scrap Extravagance no meu blog, algumas scrapeiras comentaram, então um belo dia, recebo o recado online de uma delas: você viu que temos tema de casa? Coisa de um mês atrás. Fui ver no blog das alunas e no Facebook. E lá estava. A primeira lição. Anne Sereguetti pedia fotos 5X5, 4X4 e 10X10. Algumas em painel. Outras não. Em minutos entrou outra lição. O designer Betto Cesare pedia fotos 10X10 e 7,5X10. Aí foi a vez de Gil Jussara pedir fotos sobre moda. De novo, tamanhos esdrúxulos como 6,5X18, 12,5X15,5 e outros. Ao todo, dez projetos. Em apenas dois, fotos tamanho padrão, tipo 10×15 ou 13X18. Entrei em pânico.

Curtindo a vida adoidado. O que me deixou feliz nos últimos meses.
Curtindo a vida adoidado. O que me deixou feliz nos últimos meses.
Repeat 4x4. Acho que serão sombras!!!!!
Repeat 4×4. Acho que serão sombras!!!!!

Como eu faria isso? Impulsivamente me inscrevi num curso de photoshop – e já aproveitei pra fazer um curso de fotografia, que saiu na promoção – e comecei a selecionar fotos dos anos 80. Descobri então, que quase não tenho fotos dos anos 80. Quando muito, fotos dos meus filhos bebês, na praia, uma ou outra, naquelas amadoríssimas máquinas Instamátics da Kodac. Naquela época, as fotos eram batidas/tiradas com filmes de 12, 24 e 36 poses, precisava revelar filme e foto, sem garantia alguma da qualidade da foto. Às vezes, entre a foto e a revelação passavam-se meses, e o pacote fotográfico era uma grande surpresa. Havia economia e planejamento na hora de tirá-las/batê-las.  Com as fotos digitais, não gostou, deleta. A gente tira 3000 fotos e imprime 100. Quando imprime.Por isso, agora, ao procurar as fotos de trinta anos atrás, além de poucas, muitas estão esbranquiçadas, amareladas e com pouca nitidez. Uma lástima.

Casei nova, então meu ídolo adolescente me acompanhou na década de 80.
Casei nova, então meu ídolo adolescente me acompanhou na década de 80.

Lembrei então, que nos anos 80 eu casei, pari dois filhos, fiz uma faculdade, lavei e passei muita roupa, ralei barriga no fogão, fiz muita faxina, datilografei muitos trabalhos na minha Olivetti Lettera 32, estudei muito, estagiei, andava de ônibus, carregava filho pra creche, vivi meus anos de vacas magras e grandes saltos, e praticamente não tenho fotos que registrem este período maravilhoso da minha vida.

Photoshop também engorda!!!! rsrsrsr
Photoshop também engorda!!!! rsrsrsr Preciso de mais aulas ou mais dedicação.

Por isso, resolvi improvisar. Usei recursos do photoshop e do meu MAC pra envelhecer fotos e reviver aquela época mágica.

A foto é atual. O efeito, antigo.
A foto é atual. O efeito, antigo.

Também abusei do preto e branco.

É assim que assisto TV: Com as mãos ocupadas.
É assim que assisto TV: Com as mãos ocupadas. Hiperativa? Impaciente?

Tema de casa deixa a gente meio que estressada, então fiz essa seleção ouvindo Shakira.

Rir pra não chorar às xs é a solução.
Rir pra não chorar às xs é a solução.

Bem, agora é preparar a mala – bem grande – e aproveitar ao máximo. Depois eu conto como foi.

Scrap Extravagance 2013

Quem me conhece sabe que o Scrapbokking tem sido meu hobby-mor há algum tempo. Existem os períodos mais e os menos ativos. Basicamente porque o meu eleito provoca uma grande desorganização na minha casa e na minha conta bancária. Em Bagunça Criativa explico porque. E por mais que me esforce, não tem jeito: na hora de criar, minha atenção fica 100% focada na arte em si e 0% na arrumação à minha volta. Como tenho ocupado meus dias e semanas com “trocentas” outras coisas, meus scraps estão candidamente guardados e organizados no armário aguardando sua vez. Também já comentei sobre o custo dos materiais e oficinas de scrap no Brasil. Mesmo assim, me mantenho sempre atenta. Estou programando fazer um mini-álbum sobre nossa viagem à Califórnia em agosto. Depois das férias. E tenho – conforme minhas metas do ano – vários trabalhos e álbuns para finalizar (pequenos detalhes que fazem toda a diferença). Ou seja, no segundo semestre minha casa vai bombar. Minha conta bancária também. Quando descobri o scrapbooking descobri também o “top dos tops” em matéria de evento de scrap no Brasil: O Scrap Extravagance. O evento que deve estar na sua quinta edição acontece de dois em dois anos durante quatro dias num resort de Campinas/SP. Acorda-se e dorme-se com scrap e as últimas novidades em papeis, acessórios, técnicas, ferramentas nacionais e importadas, projetos, LOs, designers e scrapeiras de todo Brasil. Essa imersão ao Mundo Scrap, obviamente,  custa uma baba de vários dígitos impublicáveis.  Lembro que quando ouvi falar dele, pensei: “um dia vou fazer”, “quando eu ganhar bastante dinheiro vou me dar este luxo”, “uma extravagância que vale à pena”. Este ano, enfim, achei que estava na hora de fazer uma extravagância dessas e me inscrevi, dei doze cheques pré-datados, vou ficar num quarto triplo, vou torrar minha mesada e vou realizar um sonho. Do dia 15 ao dia 18 de maio de 2013 estarei incomunicável. Abduzida pelo universo dos papeis e acessórios.

Participar deste evento é uma EVIDÊNCIA de que estou chegando perto de alguma meta traçada (infelizmente, não sou eu que estou ganhando bastante dinheiro, rsrsrsrsr). A evidência tem a ver com um dos meus lemas de vida que é sempre fazer o melhor possível qualquer coisa a que me proponho. Qualquer coisa. Desde ser a melhor mãe, a melhor esposa, a melhor dona de casa, a melhor filha, a melhor  cozinheira, a melhor……..scrapeira que eu possa vir a ser. Minha busca é sempre por aprimoramento e inovação, por melhorar no que faço e no que sou como pessoa. Não tem nada a ver com competição, e SIM com superação, dedicação e esforço. Participar do Scrap Extravagance significa também PERMISSÃO e ESCOLHA. Permitir-se é acreditar merecer. E eu mereço. Escolher é optar e eleger prioridades. Por conseguinte, vou reduzir ao mínimo meus gastos com roupas e sapatos e caminhar no parque ao invés de pagar academia. Este é o custo  da minha escolha. E eu sei que vai valer à pena. Alguém quer dividir quarto comigo?